E olhar pra ela é como sentir uma faísca correndo em meio a um caminho de pólvora. E o pior, o barril que está na reta pra explodir sou eu.

Ela é daquela que grita a quatro cantos que é ariana. Se algo dá errada, é porque é ariana. Se algo não sai como quer e ela grita, ariana. Se misteriosamente um objeto voar e bater na minha testa, culpa é de Áries. Pô bicho, que onda. E eu só pra variar, discordo dela e sou o primeiro a proporcionar a ignição da faísca, tudo pelo bel prazer de discordar e ver a cara que ela faz quando é contrariada e também porque isso é uma inverdade! Ela é boa sim – em vários sentidos, aliás!

Nunca exercitei tanto o hábito de análise em frações de milissegundos, o pequeno intervalo entre ela notar que eu a fito e perguntar do jeitinho nada meigo dela.

- O que que foi?!

Ela é pintada e bordada uma ariana legitima. A teimosia, a urgência em jogar pra fora o que o coração vive cheio, as coisas do jeitinho dela, em mergulhar em suas próprias manias, mesmo que o mundo esteja sob os ombros, a maneira como ela articula e encaixa cada minimo detalhe em seu próprio lugar, cara, eu não sou um tarado, mas isso é tão sexy!

Certeza que o Zodíaco todo se reuniu e bradou em uma só voz: ‘Essa é Ariana!". Não que eu seja bitolado em começar o dia sem ler o Horoscopo, mas essa tal Ariana vem mexendo com a cabeça desse Leonino com ascendente em aquário que voz fala. De Horoscopo eu não manjo muito, mas sei reconhecer quando o coração descompassa.

Se pá que a gente combina, tô nem aí pra esse tal alinhamento de planetas, também não levo ao pé da letra toda essa formosura de gênio forte. Mas que eu tô louco pela companhia dela em uma rodada de breja e um filminho, eu tô que tô. Então é isso, acho que entendi, ela é Ariana e eu sonhador acreditando que tem tudo pra dar uma boa história.

E o barril e a pólvora? Eles que se encontrem, sempre gostei de uma aventura explosiva.

© Copyright 2021 - Cilada Literária