Você disse que estava reparando que a rebolada que eu dou da esquerda para direita é mais profunda do que a da direita para esquerda. Eu não sei o que isso significa, mas fico feliz que você goste. Eu sei que tenho sido terrível nos últimos meses e muito imediatista, e que apesar do nosso desencontro de horários eu gosto de como a gente sempre arruma tempo para se agarrar por entre um compromisso e outro. E bom, eu sei que hoje você tem uma reunião em pouco tempo… mas, eu posso rebolar?

Não dá esse sorriso sem vergonha enquanto tenta abrir os botões da sua camisa, que isso me faz ter vontade de tirar meu vestido e isso vai dar problema se ele amassar. Você está me ouvindo? Não levanta dessa cadeira, eu queria tanto sentar. Agora só temos o chão, e a sua mesa. Ok, a mesa está cheia de documentos.. e, não está mais. Vem rápido porque tem gente chegando, e sim, eu sei que não posso fazer barulho. Tira essa camisa. Levanta meu vestido. Desabotoa essa calça. Chega mais perto. Isso, bem assim.

Tomara que não escutem o barulho da mesa arranhando no chão. Tomara que não escutem meus gemidos baixinho. Tomara que seus dedos não fiquem roxos em mim. Tomara que meus arranhões não façam sua pele arder. Tomara que os papéis não fiquem ilegíveis. Dito isso, tomara que eu não aguente. Tomara que a gente se acabe, como sempre fazemos. Ah.. tomara.

Olha esse relógio, tá quase na hora né? Eu sei que você tá cansado, e eu preciso ir embora. Olha.. não senta nessa cadeira não. Não me olha desse jeito. É, sinto dizer que você vai se atrasar. Isso, me ajuda a me acomodar no teu colo. Eu sei que você tem um compromisso, mas eu posso rebolar?